Kaleydos

Empresas B são negócios comprometidos com a sociedade e o meio ambiente

Movimento que nasceu nos Estados Unidos tem como objetivo desenvolver e certificar empresas que tenham estratégias de bem-estar social e ambiental, sem deixar de serem rentáveis

Do Sistema B. Tradução por Gabriel Meissner, editor da Kaleydos.

Há 17 anos, nos Estados Unidos, os criadores dos sorvetes Ben & Jerry’s trabalhavam para manter em seu negócio políticas de sustentabilidade e com isso estabelecer um comércio mais justo, em que se desenvolvem ações que lhes permitissem reduzir a pegada de carbono.

Para a época, este tipo de estratégia era muito visionária e não tinha muita solidez no mercado, pois logo se viram obrigados a vender sua empresa para a Unilever. Porém, seu maior sucesso foi serem reconhecidos hoje como pioneiros na criação das empresas B, conhecidas no país norte-americano como Benefit Corporations (B Corps), que são aquelas que usam o poder dos negócios para resolver problemas sociais e ambientais.

Em 2008, um grupo de pessoas que por anos havia trabalhado com estratégias que permitiam conhecer seus impactos ambientais e sociais, se uniu para criar o Sistema B, um movimento que busca desenvolver novas estratégias econômicas que permitam que os valores e a ética inspirem soluções coletivas sem esquecer das necessidades particulares.

Segundo dizem em sua página na web, “Nossa proposta não se limita ao trabalho das equipes executivas, mas aponta para uma economia que inclua a todos e que possa criar valor integral para o mundo e a terra, promovendo formas de organização econômica que possam ser medidas a partir do bem-estar das sociedades de forma simultânea e com considerações de curto e longo prazos”.

Esta visão empresarial, que está focada em apresentar benefícios tangíveis para os grupos de interesse e em ser a melhor empresa para o mundo, vinculou a seu movimento 2.356 empresas, das quais 328 pertencem à América latina.

“Em poucas palavras, as Empresas B são empresas com propósito, isto quer dizer que são empresas que vão além de gerar lucros. Seu objetivo fundamental é resolver um problema da sociedade, seja ambiental ou social”, explica Franco Piza, Diretor de Sustentabilidade do Bancolombia.

Como ser uma Empresa B?

Para Piza, a primeira coisa que um empresário deve entender é qual é o propósito da sua empresa e seu objetivo fundamental para com a sociedade, pois se o que deseja é unicamente gerar lucro com certeza não vai estar no cenário das Empresas B.

Uma vez que se reconhece o propósito do seu negócio, podem-se se usar as ferramentas que estão disponíveis na plataforma do Sistema B. “Por meio de um questionário, pode responder perguntas sobre questões como governança corporativa e sua relação com a comunidade e o meio-ambiente. Uma vez finalizado, o questionário dá uma pontuação que vai de 0 a 200. Com isto, pode saber em que nível está e comparar suas atividades com outras PMES ou empresas que estão no mesmo setor e geografia. O mais importante disto é saber o caminho das boas práticas que começará a empregar com isso reduzir seus impactos negativos”, diz Piza.

Ser uma Empresa B, de fato, é cumprir com três características: gerar impacto positivo à sociedade e ao meio ambiente, operar com altos padrões de gestão e transparência e ampliar o dever fiduciário de acionistas e gestores para incluir interesses não financeiros.


Sobre a Kaleydos

Kaleydos é uma plataforma de investimento e desenvolvimento de soluções e negócios alinhados aos Objetivos do Desenvolvimento Sustentável (ODS). Apoiamos negócios inovadores em estágio inicial de maneira personalizada mesclando mentoria, capital semente e co-gestão. Somos uma iniciativa do Instituto Jatobás. Clique aqui para saber mais sobre nós.

Assine a nossa newsletter mensal.

Faça um comentário